Notícias

Duas pessoa com perda de visão severa podem agora enxergar o suficiente para ler após o recebimento de um tecido derivado de células-tronco humanas.

Um homem na faixa de 80 anos e uma mulher na faixa de 60 anos receberam o tratamento para degeneração macular relacionada à idade, uma condição na qual leva à rápida perda da visão central.

As duas pessoas que até então não conseguiam mais ler, passaram a ler de 60 a 80 palavras por minuto com óculos normal. Eles foram monitorados por 12 meses após o procedimento e não reportaram efeito colateral severo.
Os resultados são um passo positivo na criação de um tratamento para degeneração macular, que afeta mais de 600,000 pessoas no Reino Unido.

“O resultado sugere que esse novo procedimento terapêutico é seguro e provém um bom resultado visual”, diz Lyndon da Cruz, consultor oftalmologista do Moorfield Eye Hospital NHS Foundation Trust. “Os pacientes que receberam o tratamento possuíam degeneração macular severa e conseguiram melhorar sua visão de uma maneira que irá aumentar sua qualidade de vida”

Novas Camadas

Uma camada de células chamadas epitélio pigmentado da retina (EPR) é essencial para dar suporte e nutrição às células da retina que capturam as luzes para a visão. Na degeneração macular seca, o vazamento de líquido danifica as EPRs, levando à morte das células fotossensíveis e perda de visão.
Antes de realizar o transplante do tecido no olho de cada voluntário, Da cruz e seu time de pesquisa cresceram em laboratório células EPR substituintes através de células-tronco humanas em um scaffold de plástico. As novas células EPR “reabasteceram” as células fotossensíveis, melhorando a visão.
Um ensaio parecido com as células do epitélio pigmentado da retina criados a partir de células-tronco pluripotentes induzidas (iPSCs) – células adultas que são transformadas em células-tronco – também demonstrou sucesso no ano passado. Uma mulher portadora de degeneração macular teve suas células da pele convertidas em células EPR. Essas células foram então implantadas próxima à retina. O tratamento não tornou a visão mais aguçada, mas preveniu futuras deteriorações.

O tratamento com iPSCs são preferíveis àqueles que usam células-tronco embrionárias, já que não envolvem o uso de embriões humanos. Entretanto, há uma preocupação de que a conversão de células adultas em células-tronco poderiam desencadear mutações genéticas cancerígenas, fazendo-se necessário mais ensaios sobre ambas as técnicas.

“Esse [novo] estudo representa o progresso real na medicina regenerativa e abre portas para novas opções de tratamentos para pessoas com degeneração macular relacionada à idade” diz Pete Coffey, do Instituto de Oftalmologia da UCL, que faz parte da equipe que executou o estudo. “Nós esperamos que isso leve a uma terapia acessível que possa estar disponível para pacientes do Serviço Nacional de Saúde britânico nos próximos cinco anos.

Artigo: Nature Biotechnology, DOI: 10.1038/nbt.4114
Tradução do site: https://www.newscientist.com/…/2164134-stem-cell-therapy-r…/

Deixe uma resposta