Notícias

O experimento com células da pele foi o primeiro caso de sucesso com um primata: o macaco Rhesus. 

 Fonte: Revista Info/ EFE

Um artigo da revista especializada Cell Reports do último mês (link completo aqui) traz o primeiro caso de sucesso na produção de tecido ósseo a partir de células de pele em um primata. A pesquisa foi dirigida pela cientista Cynthia Dunbar, do Instituto do Coração, Pulmão e Sangue dos Estados Unidos. No entanto, os pesquisadores afirmam que há risco dessas células-tronco pluripotentes induzidas originarem tumores.

Primeiramente, os pesquisadores usaram um processo padrão para reprogramar as células de pele retiradas dos macacos tornando-as células-tronco pluripotentes. Essas células pluripotente induzidas foram colocadas em estruturas para reconstrução do tecido ósseo. Como resultado, novo tecido ósseo foi formado nos macacos.

Neste estudo, os cientistas usaram células-tronco induzidas pluripotentes denominadas autólogas – capazes de produzir qualquer tipo de tecido a partir de células retiradas do mesmo indivíduo que depois as recebe. Esse procedimento dispensa a necessidade de medicação contra a rejeição do tecido, uma vez que ele é produzido a partir do mesmo paciente.

Embora o modelo de experimento tenha demonstrado o risco da formação de tumores, chamados teratomas. No caso apresentado, os pesquisadores informaram essas estruturas não se desenvolveram nos macacos utilizados nos experimentos, os quais receberam as células-tronco. O procedimento realizado (em primatas) é um importante passo para a medicina regenerativa.

Deixe uma resposta

Translate »