Notícias

Você sabia que as células-tronco podem ser obtidas pela obtenção da polpa do dente de leite?
É um processo não invasivo, e pode ser realizado no período de troca dentária, entre os 5 e 12 anos. A polpa do dente é composta por vasos sanguíneos, nervos e células-tronco mesenquimais, ou seja, são células que tem a capacidade de ampla variedade de diferenciação, tais como células do músculo, tecido nervoso, tecido adiposo, ossos, pele, tecido cardíaco e cartilagem.

*imagens do curso de células-tronco realizado no 4º Encontro Internacional de Medicina Regenerativa e Engenharia de Tecidos e 1st TERMIS AMERICAS WORKSHOP

Existem bancos de dente de leite?

Sim. Aos que desejam congelar a polpa do dente de leite, devem primeiramente entrar em contato com um centro de tecnologia AUTORIZADO pela ANVISA. Pode-se escolher congelar a polpa ou doar o restante do dente para estudos.

Nós do Instituto incentivamos o congelamento do material em bancos públicos, pois assim haveria uma possiblidade do material ser utilizado por mais pessoas, sem custos.

Qual a diferença entre células-tronco do dente de leite e do cordão umbilical?

As células-tronco do cordão umbilical são retiradas logo no início da vida da criança, e são conhecidas como células-tronco hematopoiéticas. São capazes de se diferenciar em hemáticas, leucócitos e plaquetas. Estas células já são utilizadas no transplante de medula óssea, por exemplo. Os tratamentos incluem anemias, linfomas e leucemias, por exemplo.

Recentemente fizemos uma postagem no site sobre os bancos de cordão umbilical, vale a pena dar uma olhada clicando aqui.

Vale ressaltar que o tratamento com células-tronco no Brasil ainda NÃO SÃO REGULAMENTADOS. O que existe são ensaios clínicos em fase de pesquisa, ou seja, intervenções experimentais. Para saber mais, também já falamos disso aqui no site, basta clicar aqui.

REFERÊNCIAS:
Centro de Criogenia Brasil
R.crio – Armazenamento e Preservação de Células-tronco

Deixe uma resposta