Notícias

  O sono é importante para o nosso corpo. A privação do sono, além de poder prejudicar o próprio sono, pode ter efeitos negativos  para a saúde. Acontece que a sua privação do nosso sono também pode afetar outros… Se você for doador de células-tronco hematopoéticas, por exemplo.

  Celulas-tronco hematopoéticas, também conhecidas como células do sangue, são responsáveis por dar origem às células do nosso sangue e sistema imunológico e são as células utilizadas em transplantes de medula óssea, uma terapia celular que foi lançada há 50 anos.

  O transplante de medula óssea ou células-tronco hematopoéticas são agora utilizados rotineiramente para tratar pacientes com câncer no sangue, tais como leucemia ou linfoma e distúrbios do sistema imunitário. De acordo com a Sociedade Americana de Sangue e Transplante de Medula (American Society for Blood and Marrow Transplantation), aproximadamente 24.000 pacientes no mundo inteiro são transplantados anualmente com células-tronco do sangue do doador.

  São realizados diversos passos cautelosos em um transplante de medula óssea ou de células-tronco em que  o  doador e o receptor são pessoas diferentes (conhecido como um transplante alogênico):

  1. Medula óssea ou células-tronco de um doador imunologicamente adequadas são colhidas.
  2. O sistema imunológico do receptor é “condicionado” para receber as células doadoras.
  3. As células-tronco do doador transplantado migram para a medula óssea – o espaço vascular dentro do osso, o qua é lar de células-tronco hematopoiéticas.
  4. As células-tronco doadas implantam na medula óssea receptora e começam a proliferar para gerar as células que entram na circulação e ajudar a restabelecer o sangue do paciente e do sistema imunitário.
  5. Mesmo uma falha parcial de uma das seguintes etapas podem ameaçar o sucesso do transplante.

Acontece que o sono também pode ser um fator crucial no sucesso do transplante. Uma equipe de cientistas da Califórnia e Israel usaram ratos para testar o efeito do sono sobre o transplante de células-tronco. Quando os ratos foram privados de sono, a capacidade de as suas células-tronco restaurarem o sangue e o sistema imunológico de um rato receptor foi drasticamente reduzida. Não só havia menos células transplantadas encontrados na circulação, mas também havia menos células do doador da medula óssea de ratos transplantados.

  Como é que a privação do sono afeta a função das células-tronco hematopoéticas? Parte da resposta parece ser que as “células adormecidas” foram prejudicadas funcionalmente. Células-tronco hematopoéticas de ratos privados de sono mostraram que alterações genéticas inibiram a sua migração. E quando essas alterações genéticas foram experimentalmente corrigidas, as “células adormecidas”  foram capazes de migrar normalmente, demonstrando assim que as alterações genéticas foram importantes para a migração de células-tronco.

  O hormônio do crescimento pode ser outra parte da resposta. Conhecido por ser regulado pelo sono, o hormônio do crescimento foi relacionado às mesmas mudanças genéticas observadas nas células-tronco “adormecidas”, sugerindo, assim, que o hormônio de crescimento esta envolvido entre a falta de sono e as mudanças genéticas.

 Nós todos sabemos por experiência própria que o sono é importante, mas como isso afeta a função das células é uma questão fundamental e objeto de investigação científica. Esta pesquisa acrescenta uma nova dimensão importante e subestimada à investigação em células-tronco e a sua utilização clínica.

Fonte: International Society for Stem Cell Research

Deixe uma resposta

Translate »