Notícias

A estimulação de células-tronco mostra-se promissora como um potencial tratamento não invasivo de derrame, de acordo com pesquisas em ratos publicados em JNeurosci. Se estendida aos humanos, esta técnica poderia melhorar muito a qualidade de vida dos pacientes.

Ling Wei, Shang Ping Yu e colegas da Emory University injetaram células-tronco neurais no cérebro de camundongos após um derrame e ativaram as células através da administração nasal de uma proteína. As células-tronco ativadas por essa nova técnica não invasiva, chamada de optochemogenética, tornaram-se mais saudáveis ​​e formaram mais conexões em comparação com as células-tronco que não receberam estimulação. Além disso, os ratos que receberam as células-tronco e a estimulação apresentaram a maior recuperação, com alguns comportamentos retornando aos níveis anteriores ao AVC.

A combinação de injeção de células-tronco e estimulação aumentou a probabilidade de uma recuperação bem sucedida do AVC em camundongos. Em vez de apenas injetar células-tronco na área danificada do cérebro, o acompanhamento da estimulação cria um ambiente ideal para as células se desenvolverem e formarem conexões com os neurônios circundantes.

Texto retirado do site News Medical

Deixe uma resposta